Alma dos Animais: Estágio Anterior da Evolução Humana?

196 páginas - 14x21 cm

Sendo a escala do progresso sublime e infinita, busquemos reconhecer que existe uma infinidade de laços que nos une aos valores gradativos da evolução. A descendência animal do homem impõe-se com evidência luminosa a todo pensador imparcial, demonstrando o processo de evolução do homem. 

"Paulo Neto foi muito feliz neste seu empreendimento filosófico e científico de escrever esta obra. Ele mergulhou fundo no assunto e nas pesquisas sobre a questão, e coloca para o leitor uma numerosa coletânea de citações e opiniões de várias autoridades renomadas na área, tanto científicas como filosóficas. Além disso, o autor traz a abalizada opinião de Allan Kardec e de respeitados autores que se pronunciam sobre o ponto de vista do Codificador da Doutrina Espírita...” 


José Reis Chaves

Espiritismo, princípios, práticas e provas

Espiritismo, princípios, práticas e provas123 páginas - 14x21 cm

 Espiritismo: princípios, práticas e provas tornou-se um livro, ao demais, apresentado em linguagem acessível, essencial à aceitação positiva e duradoura por parte do grande público. Ao lado de riquíssimo levantamento das evidências e provas das manifestações, desde os imortais clássicos da experimentação mediúnica até a “física da alma” de Goswami e a transcomunicação contemporânea, esta muito eficiente explanação não se descuida do agora mais imediato da doutrina dos espíritos: orientação filosófico-religiosa de um segmento representativo e altamente escolarizado da sociedade brasileira, que de fato cultua a paz porque acredita, sob a inspiração de Allan Kardec, não precisar dirigir-se aos que estejam satisfeitos com sua fé, abominando, desse modo, as escaladas proselitistas da intolerância.

Sérgio Aleixo

Os Espíritos comunicam-se na Igreja Católica

166 páginas - 14x21 cm
 
Com a presente obra, Paulo Neto atinge simultaneamente dois alvos, pois, tantos os espíritas quanto os católicos desconhecem acerca das comunicações mediúnicas na Igreja. Esta até estremece quando se menciona que a Bíblia é repleta de fenômenos mediúnicos, como se isso denegrisse a pureza de sua fé.
Mas contra fatos não há argumentos, e é essa a argamassa que Paulo utilizou para tecer sua pesquisa e sedimentar suas conclusões.
Conta-nos, por exemplo, que os católicos se agarram à algumas passagens bíblicas para legitimar sua aversão às comunicações com os seres que já se foram. Atestam que tal proibição está no "Livro Sagrado", uma obra inspirada, ou revelada por Deus.
Inspirada?
Será que o que consta na Bíblia foi realmente fruto de comunicação divina, como querem crer os católicos?
É sabido que ela foi composta (e não escrita) por muitos anos, ela não passou de relatos narrados de boca em boca, vindo a ser escrita, pelo menos, mais de um século após a morte de Jesus. Isso é "inspiração"?
 
Sonia Rinaldi

Pagina 2 de 2

Newsletter

Receba os novos artigos em seu e-mail

Quem está Online

Temos 164 visitantes e Nenhum membro online